IGNORAR

01/02/2010 § Deixe um comentário

 

 

Ignorar deveria ser um bálsamo, uma fonte de água pura e fresca. Mas hoje, a dúvida me mata como veneno, desses que lentamente corroem a carne, apodrecem as vísceras e secam os olhos. Hoje, não saber o que adoece a pele, já naturalmente um tanto cansada dos anos sem fim, me mata a vontade de estar aqui.

Ignorar deveria ser vento bom, tardinha dourada, lua crescente num céu índigo. Mas, hoje o céu desabou na minha cabeça quando eu descobri que não sabia nada de nada, nada de mim, nem dele, nem de nós dois. Ignorar deve ser um estado de outro país, deve ser um continente de outro planeta, deve ser um planeta de outra galáxia.

 

E é para lá que eu quero ir!

 

 

Ouvindo: “Vai” (Ana Carolina)

 

Anúncios

Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento IGNORAR no ...O Vôo da Libélula....

Meta

%d blogueiros gostam disto: