DILEMA

15/09/2006 § 1 comentário

 


Inconscientemente ela tornou-se parte dele,
Quando se apercebeu era já tarde de mais.
Ao crepúsculo sentiu-se dividido no seu íntimo.
Pestanejou, apreciando a húmidade nos olhos.
Na mente, os pensamentos de mais uma noite de insónia.

Rasgou poemas inacabados,
Durante largos dias não conseguiu trabalhar,
Vendo laranjais que brotaram do deserto,
Debatendo-se com um território fora dos mapas,

Ela tornou-se numa profissão de fé ou numa obsessão?
Não mais uma ansiedade, apenas uma questão académica.
Por alguma razão ele já não estava disposto a defender-se,
Uma antiga matriz mental triunfou sobre a racionalidade.

Agora, contemplando de longe os seus dilemas,
Tardiamente tendo despido um engano galopante,
Inteiramente imerso numa torrente glacial de mágoa,
O seu intelecto não obedecia a uma ordem para deixar de amar,
Implacavelmente, rebelando-se contra a sua própria disciplina.


M.Daedalus

Anúncios

§ Uma Resposta para DILEMA

Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento DILEMA no ...O Vôo da Libélula....

Meta

%d blogueiros gostam disto: