“TUDO PASSA”

16/11/2005 § 1 comentário

 

Começo nossa conversa de hoje com uma historinha de humor Zen:

Certa vez, um monge foi falar com seu Mestre. Disse ele: – Mestre, minha meditação anda horrível, não consigo me concentrar, ando inquieto, agitado, minha mente vagueia por aí… Então o Mestre disse: – Isso vai passar. O discípulo foi embora. Meses depois, voltou ao Mestre e disse: – Mestre, minha meditação está maravilhosa, tenho conseguido estágios de grande concentração, estou atento à minha respiração… E o Mestre: – Isso também vai passar.

Dia desses, contei essa história a uma pessoa que estava muito triste e ela riu bastante. Achou engraçado o final da história. Penso que ela estava à espera de um final mais “feliz”, que lhe desse algum alento. Ela riu porque achou a minha historinha pouco animadora. No entanto, ter a consciência de que “tudo passa” não é algo triste ou desolador. Pelo contrário. A consciência de que as coisas ruins passam permite que soframos menos. Da mesma forma, a consciência de que as coisas boas também passam permite que as aproveitemos melhor.

A idéia de que “tudo passa” é uma verdade realmente insofismável. Você poderia apontar alguma coisa, neste mundo, que não mude, algo que permaneça imutável, sempre igual? O dia e a noite se alternam, o clima está sempre mudando, nosso humor muda por diversas vezes no mesmo dia, assim como o nosso estado de ânimo; os nossos relacionamentos mudam, o ambiente muda, o planeta muda, o chefe muda, “tudo muda o tempo todo no mundo”. Mesmo em termos geológicos, se pensarmos nas pedras, por exemplo: demoram um tantinho a mais, mas também mudam! Até as pedras mudam!

Essa idéia foi objeto de uma letra de Nelsinho Motta, imortalizada na voz de Lulu Santos: “Como uma Onda no Mar”. A letra diz: Nada do que foi será/De novo, do jeito que já foi um dia/Tudo passa, tudo sempre passará /A vida vem em ondas, como um mar /Num indo e vindo infinito/Tudo que se vê não é /Igual ao que a gente viu a um segundo/Tudo muda o tempo todo no mundo/Não adianta fugir/Nem mentir pra si mesmo agora/Há tanta vida lá fora/Aqui dentro sempre/Como uma onda no mar/Como uma onda no mar/Como uma onda no mar/Como uma onda no mar .

Heráclito de Éfeso, filósofo pré-Socrático (Séc. VI a V a.C), disse que não atravessamos duas vezes o mesmo rio. Quando voltarmos ao rio, não seremos a mesma pessoa, nem o rio será o mesmo rio. Muita água já terá passado por aquele local e o rio terá se transformado. As coisas vivem em constante transformação tudo nasce e morre a cada segundo.

Sofremos porque não temos essa consciência de que tudo passa. E por não aceitarmos plenamente a idéia de que tudo passa, por lutarmos contra essa idéia. Quando estamos vivendo um momento bom, esperamos que ele dure para todo o sempre. Quando ele passa, ficamos desolados. Puxa, como era bom! Tentamos resgatar o “antes” e vivemos com saudades do que passou. Não aceitamos a idéia de que aquele momento bom tenha passado. A falta da aceitação da idéia de que “tudo passa”, até mesmo as coisas boas, nos causa mais e mais dor.

Da mesma forma, quando estamos passando por um mau momento, com dor ou sofrimento, nossa crise parece maior porque pensamos que ela nunca vai acabar. Não colocamos as coisas em perspectiva. Temos a idéia de que aquele sofrimento vai perdurar, perdurar, perdurar… Às vezes, achamos que nunca sairemos de uma determinada situação difícil que estejamos vivendo. Novamente aqui, a falta da consciência de que “tudo passa” colabora para que soframos mais.

Tudo, neste mundo, é transitório. Por isso, viver cada momento é tão importante! Cada momento é único – e finito. Cada pessoa é única. Ela não vai durar pra sempre: nem aquelas de quem gostamos, nem as que “desgostamos” .

Assim, se tivermos consciência disso, consciência de que tudo está mudando e de que não podemos frear o relógio do tempo, não sofreremos tanto diante das circunstâncias, dos acontecimentos da vida. Valorizaremos cada segundo, por sabermos que ele é importante. Ficaremos felizes nas horas boas, desfrutando plenamente delas e teremos consolo nas horas más, por sabermos que elas também passarão. Afinal, tudo passa!

A palavra da semana é IMPERMANÊNCIA…

Pense nisso!

Anúncios

§ Uma Resposta para “TUDO PASSA”

  • antonio disse:

    fiquei admirado com a maneira simples(a historia do monge)como encontrastes as palavras pra definires, como tudo na vida passa ou tudo é passageiro.muito bonito

Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento “TUDO PASSA” no ...O Vôo da Libélula....

Meta

%d blogueiros gostam disto: